quinta-feira, 17 de julho de 2008

Azeite de Oliva ( MUFA - Ômega-9)


Não se sabe com exatidão quando o azeite de oliva foi produzido pela primeira vez. Mas uma coisa é certa, ele está presente em boa parte da historia da humanidade. Os mesopotâmicos por exemplo, usavam para untar o corpo na proteção ao frio, isso há mais de 6 mil anos. Em uma região da Grécia onde as pessoas vivem em média 100 anos, os pesquisadores demonstraram que a ingestão diária de azeite de oliva no desjejum é a explicação para a longa vida daquelas pessoas.
Hipócrates usava o azeite tanto na alimentação como na medicina e, nesse campo, a sua utilização está associada ao alivio de dores e tratamento de feridas. Era um ingrediente que não podia faltar nas batalhas. A explicação para tamanho sucesso e importância só veio muitos séculos depois, na Idade Contemporânea. Foi quando se provou que a azeitona tem o elemento básico da aspirina- o ácido acetilsalicílico.
Depois disso, os benefícios e a amplitude do uso medicinal do azeite aumentaram- muitas vezes sem nenhuma explicação técnica, mas tanto os médicos como pacientes relatavam resultados satisfatórios.


Tipos de azeite


Azeite de oliva virgem: obtido através de processo mecânico, conforme suas características e acidez pode ser classificado como extra virgem ou comum.


Azeite de oliva refinado: obtido pela refinação do azeite que apresentou alto índice de acidez ou defeitos que serão eliminados e após será misturados com azeite virgem.


Existe ainda o azeite do bagaço de oliva: constituído de uma mistura de azeite extraído do bagaço por solventes, que será refinado e posteriormente misturado com azeite virgem.


Composição Química do azeite de Oliva


Fração oleosa: que representa 98 a 99% da quantidade total do óleo é constituído por ácidos graxos: palmítico, palmitoleico, esteárico, linoléico, araquídico, eicosenoico , gadoleico e lignocérico.

Dentre esses, os mais importantes são:

Ácido Linoleico (3,5 à 20%) que é encontrado também em outros óleos vegetais insaturados (milho, soja, oliva e canola) e são hipocolesterêmicos.
Ácido oléico, o ômega-9 ( 56 a 85%) é um ácido graxo essencial ( ômega 9), o qual participa do metabolismo, desempenhando um papel fundamental na síntese dos hormônio, reconhecido por suas propriedades reguladoras do colesterol.
Enfim, o ácido graxo cis-monoinácidosaturados o ácido oléico (18:1) conhecido como MUFA cuja maior fonte é o azeite de oliva, melhora as funções cardiovasculares.


O óleo de oliva é rico em antioxidantes e contem uma substancia chamada esqualene , que previne uma variedade de tumores experimentais e que pode ser o agente protetor contra o câncer nos países que consomem a dieta creta/mediterrânea. O consumo de óleo de oliva aumenta a captação de ácidos ω-3 pelas células, o que não acontece com o consumo de ω-6, que reduz essa captação. O óleo de oliva recebeu muita atenção nos últimos anos. Os pesquisadores sabem que muitas pessoas na Itália, em Creta e em outros países mediterrâneos apresentam uma menor freqüência de doença cardíaca, apesar de consumirem mais gordura do que os americanos ( mais de 40% das calorias provêm de gorduras).
Entretanto, a maior parte das gorduras consumidas pelos habitantes desses países vêm do óleo de oliva. Será possível que o óleo de oliva seja responsável pelos baixos índices de doença cardíaca nesses países? Alguns peritos acreditam que sim. Os resultados mostraram que quando as pessoas substituem a gordura saturada da dieta por óleo de oliva ( que contém principalmente gorduras monoinsaturadas), há um declínio no colesterol LDL ( mal). O uso de óleo de oliva aumenta o colesterol HDL (bom). Existe uma série de compostos ativos no óleo de oliva, incluindo esqualene e um grupo químico chamados polifenóis.
O esqualene , encontrado também no óleo de fígado de tubarão, é um produto intermediário na síntese do colesterol. O esqualene , no óleo de oliva, pode inibir o organismo de produzir o colesterol. Além de seus efeitos no colesterol, óleo de oliva ( e a dieta Creta mediterrânea em geral) parece tornar as pessoas menos suscetíveis a certos cânceres, especialmente de mama, cólon e próstata.
Os melhores óleos de oliva são os chamados de extravirgem , isto é, são aqueles com menor grau de processamento. O óleo de oliva extravirgem apresenta uma cor verde marcante, por ser mais rico em polifenóis, compostos que podem estar relacionados ao combate ao câncer e aos efeitos sobre a redução do colesterol. Os polifenóis são antioxidantes, isto é, auxiliam a prevenir os radicais livres de lesarem as células saudáveis . Ele também protegem o colesterol no sangue de alterações oxidativas, o processo que faz o colesterol aderir às paredes das artérias e impedir o fluxo de sangue para o coração, cérebro ou outras partes do corpo.
A razão principal de as pessoas usarem o óleo de oliva é, naturalmente, seu sabor. O óleo de oliva funciona bem em saladas, mas se decompõe em altas temperaturas. Você perde o sabor e suas propriedades lubrificante em altas temperaturas. O sabor, assim como moléculas medicamente ativas, são perecíveis. Por isso, o óleo de oliva deve ser conservado longe da luz do sol.
O melhor óleo de oliva é o virgem ou extravirgem, obtido da primeira expressão das azeitonas. É também o menos oxidado. O óleo de oliva contém muitos fitoquímicos que podem ser benéficos. Ele deve ser adquirido em pequenas quantidades. Os homens de Creta obtém cerca de 30% das suas calorias deiárias do óleo de oliva e a sua saúde é testemunha das propriedades benéficas deste óleo.

fonte: Mediterraneam food and health: building human evidence

Conferencia Internacional sobre azeite de oliva virgem na saúde

Ômega-3 e ômega-6 O equilbrio dos ácidos gordurosos essenciais na prevenção de doenças.

9 comentários:

Anônimo disse...

Ai como queria emagrecer 2 kg!
=[
rs!

Bjs lindona!

(Nat)

Fátima Lemos disse...

Obrigada por falar sobre o azeite de oliva. Mas eu gostaria de saber a diferença entre o extravirgem e o comum. preciso dessa diferença para poder usá-la em alimentação de criança com tratamento de síndrome nefrótica.
Atenciosamente
Fátima lemos

Anônimo disse...

Your blog keeps getting better and better! Your older articles are not as good as newer ones you have a lot more creativity and originality now keep it up!

Anônimo disse...

Seria importante vc visitar o site www.clubepositivo.com e baixar o livro os alimentos dos centenários e depois descrever algo sobre: levedo de cerveja, germen de trigo, salsinha... teus seguidores vão adorar também saber sobre os poderes da soja.
bj
Derli

Anônimo disse...

Gente me add ai no msn rs xD baraunacarlos@hotmail.com meu nome e Carlos Cesar Barauna Neto rs xD Sou de Salvador Bahia rs xD

lucia disse...

quero saber se o óleo de bagaço de oliva refinado e azeite extravirgem é bom ou ruim e suas qualidades e defeitos.

Celidalva maria Soares disse...

gostei muito de saber qual o tipo de azeite eu posso comsumir durante as minhas refeiçois referente as pessoas que tem diabetes pode ser comsumido ou tem um especifico para cada caso

Celidalva maria Soares disse...

oi gostaria de saber se existe um tipo de azeite especifico para pessoas que tem diabetes e inpertençao e obesidade

Anônimo disse...

Muito bom