sábado, 5 de julho de 2008

Costumes Alimentares Judeus, Leis Dietéticas e Feriados


As leis dietéticas, judias são ordens bíblicas interpretadas como regras, no que diz respeito aos alimentos . As regras dizem respeito principalmente à seleção, abate e preparação da carne. Os animais permitidos para consumo, especificamente gado, carneiro, bode e cervo; eles são considerados “limpos”. As carnes de aves permitidas são frangos, peru, ganso, faisão e pato. Todas as carnes de animais e aves mortos devem ser inspecionadas quanto ao risco de doenças e is animais e aves mortos por um ritual de abate de acordo com a regra específica. Apenas o quarto dianteiro do quadrúpede pode ser usado, exceto quando o tendão do quadril da veia fêmur possa ser removido, o traseiro também é permitido.
O sangue é proibido como alimento, por ser sinônimo de vida. O tradicional processo Kosher
De carne e aves remove todo o sangue antes da cocção (cozimento). O kosher envolve embeber a carne em água, salgá-la completamente, permitindo que seque e então lavá-la três vezes para remover o sal.
A carne eo leite não podem ser combinados na mesma refeição. O leite ou alimento feitos com leite podem ser consumidos antes, mas não com a refeição. Após se consumir carne, 6h devem passar até que os produtos feitos com leite possam ser consumidos. Em razão das regras de separar carne dos produtos do leite, os lares judeus ortodoxos tradicionais devem manter completamente separado dois conjunto de louças, prataria e equipamento de cozimento um para as refeições de carne e outro para as refeições de produtos lácteos. Apenas os peixes que tem bastante barbatanas e escamas são permitidos. Isso exclui os mariscos e enguias. Os peixes podem ser consumidos com refeições de produtos lácteos ou com carne. Os ovos também podem ser usados com carne ou leite. Porém, qualquer gema de ovo que contenha uma gota de sangue não pode ser usada porque o sangue é considerado um embrião de frango ou sinal de uma nova vida.
As frutas, hortaliças, produtos de cereais e todos os outros alimentos que constituem uma dieta podem ser usados sem restrição. Os produtos de panificação e as misturas prontas de alimentos devem ser produzidos sob os padrões aceitáveis de Kosher.
O mais importante dos feriados judeus é o Sabbath, o dia de descanso, que ocorre no sábado. A refeição da sexta-feira à noite é a melhor da semana e normalmente inclui peixe e frango. Não é permitido aquecer ou cozinhar qualquer tipo de alimento no sábado, dessa forma todos os alimentos consumidos no Sabbath é cozido anteriormente e pode ser mantido quente no forno ou consumido frio.
Os feriados de festival são o Rosh Hashanah o Ano Novo em setembro; Succoth, o feriado de colheita do outono; o Chanukah a festa das luzes em pleno inverno e o Purim, um feriado festivo na primavera. Cada feriado tem guloseimas próprias associadas a ele.
O Yim Kippur, ou Dia do Perdão, ocorre 10 dias após o Rosh Hashanah e é o dia do jejum. Os judeus se abstêm de todos os alimentos e bebidas, inclusive água, desde o pôr-do-sol da véspera do feriado até o pôr-do-sol do feriado. As mulheres grávidas e doentes não fazem jejum.
A Páscoa dos judeus, um festival comemorativo da primavera que dura 8 dias, inclui recomendações dietéticas especiais. Durante o feriado de A Páscoa dos judeus, o pão bolo fermentados são proibidos. O matzo, um pão não fermentados, é consumido bem, como todos os bolos e produtos assados de farinha de matzo moído ou amido de batata e fermentado apenas com clara de ovo batidas. Nenhum sal é permitido no matzo da Páscoa dos judeus tradicional. As variações de matzo frito ou refeições de panquecas de matzo são preparadas com quantidade generosa de gordura.
Kasher? Como surgiu??

Os hospitais Israelitas, prevêm em seu Regulamento, o respeito às Leis Dietéticas Israelitas, que obedecem a um processo denominado KASHER.
O processo Kasher de alimentação teve origem na travessia dos judeus do Egito para a Terra Promentida. Para sobreviverem 40 anos No deserto foram criadas as leis dietéticas que tinham antes de tudo características sanitárias. Visavam livrar o povo de parasitas intestinais e/ou de moléstias gastrointestinais, uma vez que não tinham recursos médicos e não possuíam condições de higiene e de conservação de alimentos.
O povo judeu reconheceu desde então, a relação que existe entre a alimentação do indivíduo e sua saúde atribuindo aos alimentos a influência direta no bem estar físico e até no caráter do individuo .
A palavra Kasher significa “ apropriado para comer, limpo” e designa os alimentos permitidos pelas leis judaicas. O alimento “impróprio para consumo” é denominado terefá.
Fundamentos Dietéticos
Citações bíblicas:
1. “ não cozerás o cabrito no leite de sua mãe”. Daí surgiu a separação entre os alimentos preparados com leite e com carne. Todas as preparações à base de leite, manteiga ou queijo, são feitas em utensílios separados, que não se misturam com os utilizados para carne; ambos os pratos ( à base de carne e de leite) não aparecem juntos numa refeição.
Todos os Hospitais Israelitas possuim duas cozinhas distintas; uma para leite, que é denominada COZINHA DO LEITE e outra para a carne, que é denominada COZINHA DA CARNE. Todos os alimentos que levam em sua preparação, o leite ou derivados deve ser preparado na cozinha do leite e os preparados com carne na cozinha da carne. As cozinhas devem ter os funcionários próprios e uniformizados de maneira diferentes; todos os utensílios utilizados ( desde talheres, até panos de prato) devem ser identificados de maneira a serem reconhecidos prontamente e evitar misturas ou troca dos mesmos.
OBS: a carne de peixe é excluída destas restrições, sendo então permitida a sua preparação com leite e manteiga.
2. No capítulo XI do Levítico, consta a enumeração dos animais proibidos e permitidos.
Entre os mamíferos são considerados Kasher os ruminantes de casco fundidos. Não são considerados kasher: lebre, colelho.
Entre os animais marinhos são kasherm, apenas peixes que possuem nadadeiras e escamas.
Entre as aves são kasher, as que não forem de caça.
Entre os mamíferos permitidos, nem todas as partes são próprias para o consumo:
Desprezam a gordura que envolve os intestinos ( cap. VII Levítico Vers 22)
Tendões
Traseira de animal ( nervo ciático) Gênesis, XXXII, 33.
Víceras
Nenhum animal doente ou que haja morrido acidentalmente é kasher. Sua carne é julgada terefá ( imprópria para consumo).
A matança do animal é tarefa de uma pessoa especializada: o Shochet. Não é permitido o sofrimento do animal. O sacrifício do animal é feito através de uma lâmina muito afiada e sem falha ( Maimônides: “ Já que a necessidade de obter alimentos exige o sacrifício de animais, a lei ordena que a morte do animal seja a menos dolorosa possível.
Animal castrados não servem para a alimentação.

Nenhum comentário: