terça-feira, 14 de abril de 2009

Adoçantes podem levar ao aumento de peso?

Um estudo publicado pela revista Norte-Americana de Neurociência ( Behavioral Neuroscience) no primeiro semestre de 2008, demonstrando a associação de aumento de peso em ratos de laboratórios que consumiram sacarina, suscitou interesse e preocupação com a saúde bem estar e controle de peso tanto entre profissionais quanto na população em geral. A pesquisa baseou-se num dos princípios básicos da fisiologia moderna: reflexo condicionado, o grande legado deixado pelo cientista russo Ivan Pavlov, ganhador do premio Nobel de Medicina. A teoria propõe que todos animais ( inclusive o homem) se condicionam de modo que um determinado estimulo fisiológico segue-se de uma experiência sensorial e fisiológica especifica. Em outras palavras, o organismo, ao ser estimulado, “espera” aquela conseqüência com a qual está acostumado e se regula em função disso.
Desde a primeira mamada o animal se acostuma com o fato de que o estimulo sensório do doce em suas papilas gustativas se segue de um aporte de nutrientes hipercalóricos. Isso determina um comportamento neurosensorial que regula a saciedade que regula a saciedade e o metabolismo. A quebra desta seqüência pode levar a um desequilíbrio na ingestão alimentar dos animais. Essa foi a hipótese testada no estudo. O consumo de adoçantes não calóricos ( que são mais doces que o próprio açúcar), pode levar a excessos na ingestão diária de calorias, numa compensação do organismo pela “falta” que sentiu após aquele estimulo vazio.
No estudo, os pesquisadores administraram uma refeição padrão (iogurte) em dois grupos de ratos: o primeiro adoçado com açúcar, o segundo com sacarina. Ao final, observaram que os ratos que ingeriram o alimento com sacarina apresentaram ganho de peso 20% maior, com maior ingestão calórica diária.

O resultado, a princípio é estranho. Porém, é preciso entender e interpretar os dados, sem jamais esquecer que o consumo de alimentos ricos em sacarose está ligado ao aumento de risco de obesidade, diabetes, síndrome metabólica e doenças cardiovasculares. O consumo de alimentos muito doces podem aumentar a “fissura” dos indivíduos por alimentos mais palatáveis ( e calóricos). A “ confusão” metabólica observada neste estudo mostra que os adoçantes ingeridos à revelia, sem um planejamento nutricional , podem contribuir para piorar o habito alimentar e aumentar a ingestão total de calorias. Tais resultados devem ser vistos com cautela, uma vez que o modelo experimentado foi realizado em ratos, cujo padrão de controle de ingestão alimentar difere dos seres humanos. Independentemente disso, as descobertas destas pesquisas sinalizam para a importância de se investigar melhor em seres humanos os diversos fatores que envolvem a gênese da obesidade.
Adoçantes são, sim, úteis para diminuir a ingestão de calorias e são seguros para o seu consumo, dentro da dose diária recomendada. O açúcar simples é uma fonte de calorias vazias, ou seja, sem qualquer valor nutritivo. Portanto, os edulcorantes podem e devem ser usados no controle de peso e da glicose, desde que sejam ingeridos como parte de um plano nutricional balanceado e com conteúdo adequado para o objetivo de peso do individuo.

Fonte: Revista do CRN 2 Nutrição março de 2009.

3 comentários:

Luana Margiha disse...

Obrigado pela visita,
adorei seu blog.
Vou aparecer sempre, as dicas são o máximo
bjos

José Heitor Santiago disse...

Agradeço a sua visita e o seu comentário!
Felicito-a pelo seu blogue!
Estarei atento aos seus conselhos para me melhorar.



Abraços poema,

jhs

Mércia Muriel disse...

Obrigada pela visita em meu blog
gostei muito do seu também
sempre que possivel passarei por aqui, afinal já sou sua seguidora...
bjks e fica com Deus!