terça-feira, 21 de abril de 2009

FEBRE AMARELA NO RS


Recebi este texto por e-mail:


A febre amarela é uma doença infecciosa causada por um vírus conhecido como flavivírus. A transmissão não é feita diretamente de uma pessoa para outra. O contágio se dá quando o mosquito pica uma pessoa infectada e posteriormente pica um indivíduo sadio. Se este não for vacinado, contrai a doença. A febre amarela pode aparecer em áreas urbanas, silvestres e rurais. Em áreas silvestres, a transmissão é realizada pelos mosquitos do gênero Haemagogus, que picam os macacos, principais hospedeiros, e posteriormente o homem. Já em áreas urbanas, a transmissão é realizada pela pessoa não imunizada, que uma vez infectada em áreas silvestres, serve como fonte de infecção para o Aedes aegypty (mosquito da dengue).

Os sintomas aparecem entre o terceiro e o sexto dia após a picada. A pessoa apresenta febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômitos, dores no corpo, icterícia (cor amarelada na pele e nos olhos) A doença apresenta curta duração, no máximo dez dias. Como não existe tratamento específico para febre amarela, o mesmo consiste em repouso, reposição de líquidos e uso de medicação sintomática, como o paracetamol, evitando os salicilatos, em função do risco de hemorragias. O diagnóstico é essencialmente clínico; em formas mais graves ( que podem levar a morte) é realizado através do isolamento viral em amostras de sangue ou de tecido hepático.

A vacina é a única forma de evitar a doença. A primeira dose deve ser tomada a partir de 1 ano de idade e o reforço deve acontecer a cada dez anos. A vacina é recomendada a todas as pessoas que viajam para regiões endêmicas como Centro Oeste, Norte, e por estados como Maranhão, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Uma das formas de prevenção é informar a população sobre a doença e como evitá-la: não deixando água parada se acumular em cisternas, caixas d’água, latas, pneus e vasos de plantas.

Outras informações sobre febre amarela estão disponíveis por meio do:

- Disque Vigilância (150) da Secretaria de Estado da Saúde do Rio Grande do Sul;

- Disque Saúde (0800-61-1997) do Ministério da Saúde

Além dos sites oficiais: www.saude.rs.gov.br e
www.saude.gov.br/svs.

Não esqueça de vacinar-se 10 dias antes de viajar para uma dessas cidades:

Carazinho - Cerro Largo - Cruz Alta - Erechim - Frederico Westphalen - Ijuí - Não-Me-Toque - Passo Fundo - Sananduva - Santa Rosa - Santo Ângelo - Soledade - Três Passos - Alecrim - Alpestre - Ametista do Sul - Barra da Guarita - Bossoroca - Caiçara - Campinas das Missões - Cândido Godoi - Criciumal - Derrubada - Dezesseis de Novembro - Doutor Maurício Cardoso - Esperança do Sul - Garruchos - Horizontina - Itacurubi - Jaguari - Jarí - Mata - Nova Candelária - Nova Esperança do Sul - Novo Machado - Palmitinho - Pinheirinho do Vale - Pirapó - Planalto - Porto Lucena - Porto Mauá - Porto Vera Cruz - Porto Xavier - Roque Gonzáles - Santiago - Santo Antonio das Missões - Santo Cristo - São Borja - São Francisco de Assis - São Luiz Gonzaga - São Nicolau - São Paulo das Missões - São Pedro do Sul - São Vicente do Sul - Tenente Portela - Tiradentes do Sul - Toropi - Tuparendi - Vicente Dutra - Vista Alegre - Vista Gaúcha.

2 comentários:

Bruna Belatriz Brasil disse...

Poxa, sinto muito mesmo. Aqui no Paraná, mais especificamente em Maringá, surgiu um foco que gerou preocupação. Mas tudo vai dar certo e logo isso vai mudar...
Mudando de assunto: tem selinho pra ti lá no blog!!!!
Beijossss

Gigi disse...

Pior ao doenças estão voltando, é febre amarela, malaria, dengue...
Poxa isso era coisa do passado e agora estão presentes de novo!!
Gostei do post de alerta e do incentivo a tomar vacina e o lugares de risco.
Beijos