domingo, 11 de outubro de 2009

16 de outubro é Dia Mundial da Alimentação

Em 16 de outubro comemora-se o Dia Mundial da Alimentação. Para muitos países em desenvolvimento, como o Brasil, é tempo de avaliar e buscar meios para a erradicação da fome e da pobreza.
O problema vem se agravando. Para se ter uma ideia, o número de famintos teve um incremento recente de 105 milhões, passando a alcançar 1 bilhão de pessoas em todo o mundo, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). Para combater a fome, a FAO prevê a necessidade de aumentar a produção alimentícia em 70%, a fim de alimentar os cerca de 2,3 bilhões de pessoas a mais que teremos no mundo até 2050.

O Brasil, com sua diversidade climática e avançadas tecnologias do setor alimentício, é capaz de produzir uma variedade imensa de alimentos. É hoje, inclusive, um dos maiores exportadores do setor no mundo. Com isso, seria de supor que a mesa dos brasileiros fosse uma das mais fartas do mundo, inclusive em qualidade nutricional. Infelizmente, a realidade é bem diferente.

A riqueza alimentar do nosso país não alcança o cardápio de boa parte da população. A principal causa é, sem dúvida, a desigualdade social. A pobreza que atinge de forma considerável a maior parte das famílias brasileiras faz com que muitas delas não consigam realizar ao menos uma refeição completa por dia.

Em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, desde a década de 70 a FAO realiza em diversos países debates que ajudam a intensificar a divulgação de novas medidas para combater a fome no mundo

No Brasil, diversos eventos serão realizados para comemorar a Semana Mundial da Alimentação, de 11 a 17 de outubro, abordando o tema “Alcançar a Segurança Alimentar em Época de Crise”.

Projetos contra a fome

Aprovada por unanimidade no Senado, a Proposta de Emenda Constitucional 047/2003, de autoria do senador Antônio Carlos Valadares, foi aprovada em dois turnos no Senado e por unanimidade em Comissão Especial. Ela inclui a alimentação entre os direitos sociais de todos os brasileiros. A matéria segue agora para votação em plenário, em dia a ser definida pela Mesa Diretora da Casa. Pelo regimento, ela precisa ser votada em dois turnos e necessita de 308 votos em cada turno, dentre os 513 deputados federais
Outras iniciativas, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), tem sido a criação de programas sociais como o Fome Zero e o Bolsa Família, que garantem o acesso à alimentação básica e auxiliam na redução da fome no país.

É importante salientar que para gerar soluções de combate a fome é fundamental que a luta seja coletiva, envolvendo sociedade, organizações não governamentais (ONGS), empresas públicas e privadas, enfim, todos que de alguma forma possam ajudar a minimizar o problema.
A alimentação saudável com qualidade e quantidade suficientes garante maior qualidade de vida e dignidade e faz parte do direito à vida de todo cidadão

Bibliografia(s)
Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). Disponível em https://www.fao.org.br/.
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Disponível em http://www.mds.gov.br/.
Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional do Paraná. Disponível em http://www.consea.pr.gov.br.
Presidência da República, programa Fome Zero. Disponível em http://www.fomezero.gov.br.

2 comentários:

Profª. Vânia Almeida disse...

Oi Marcela, vim conhecer seu blog que é uma gracinha pelo layout, mas o conteúdo é maravilhoso. Vou te seguir.
bjos
Vânia

Marcela Isabel Silveira CRN2: 6225P disse...

Obrigada Vânia!
Volte sempre as portas estão sempre abertas!
Bjs